Ambientada em um período pós apocalíptico em que um vírus assola a humanidade, nos transformando em zumbis comedores de gente, Z Nation é a nova aposta do canal Scy-fy e tem feito relativo sucesso. A série é bastante comentada e é uma das campeãs de downloads do canal. Junto com a audiência, as críticas dos mais “caxias” (a maioria fãs da concorrente mais famosa).

Acho que é perfeitamente compreensível ser comparada com outras produções que abordam/ abordaram a temática, sendo a mais célebre, o hit The Walking Dead (da AMC) ou outras produções como a britânica In the Flash, além de diversos filmes como Madrugada dos Mortos ou a franquia Resident Evil. Eu mesmo, quando comecei a ver a série, tinha em The Walking Dead a principal referência.

SmokeNo entanto, como já comentei em outro artigo, Z Nation é uma série muito mais focada em ação, aventura e descaradamente aposta no trash e no humor negro para se diferenciar das demais. Recentemente vimos um dos protagonistas fumar um baseadinho e soprar a fumaça na cara de um zumbi e observar que ele também fica “doidão” ou um zunami (um tsunami de zumbis!). Como não amar uma série maluca dessas?

Em The Walking Dead, jamais vimos um bebê zumbi, um urso ou um cachorro transformado. Aliás, por que mesmo que o vírus somente acomete pessoas e não animais?

Sim, Z Nation não é um novo The Walking Dead, nem pretende. É uma série despretensiosa e, por isso mesmo, tem surpreendido com a ousadia e tiradas deliciosas.

Agora, disponível também na Netflix, desarme-se, pois aqui, citamos 10 motivos para ver Z Nation sem medo de ser feliz:

Eles acreditam na cura 

A turma de Rick (Andrew Lincoln) em The Walking Dead já desistiu de tentar buscar uma cura para o vírus desde idos da primeira temporada. Em Z Nation, eles não só acreditam como potencialmente ela existe. O mote da série é exatamente levar um ser humano que foi mordido por oito zumbis e não morreu - nem se transformou - para que seus anticorpos sejam ponto de partida para uma vacina. Mas o cara é um pé no saco e pode dificultar bastante o plano de salvação.

Murphy Z Nation

Eles não têm pudores

já falamos que já rolou bebê zumbi, cachorro transformado, uma seita de comedores de carne, zumbi drogado e isso é fichinha perto do potencial de maluquices que Z Nation ainda pode proporcionar. O clássico terceiro episódio trouxe uma facção de humanos, que se autointitula "família" e que sobrevive fazendo churrascos de suculentas picanhas de... carne humana! E o que dizer do genial quarto episódio em que a camionete do grupo salvador foi sucessivamente roubado, inclusive por criancinhas loiras e angelicais portando armamento pesado? Divirta-se. Z Nation é só isso.


10.000 é a meta!

Z Nation tem personagens muito peculiares e carismáticos. Um dos mais interessantes é 10.000 (Nat Zang). Um garoto errante que se junta à caravana dos protagonistas. De poucas palavras, mas com uma mira impressionante, descobrimos que tem este nome porque traçou para si a meta de matar 10.000 zumbis, após ter perdido o pai para os "Z´s".


Um maluco no Ártico

A caravana do grupo de sobreviventes, que tem como missão levar Murphy (o cara imune) de Nova York à Los Angeles, é monitorada por um nerd (Cidadão Z), que vive em um abrigo no Ártico e que, remotamente, os ajuda a superar os obstáculos para cumprir a missão. O cara é doidão, dá uma de radialista do apocalipse e, agora, nutre uma paixão platônica por uma garota, membro do grupo.


Síndrome de Pânico e mistérios:

Após ser abocanhado ainda vivo por uma horda de zumbis e sobreviver, o criminoso Murphy (Keith Allan) se tornou a esperança da humanidade, mas o cara é tosco, irônico, egoísta e o mais divertido: morre de medo dos zumbis a ponto de ter ataques histéricos nas emboscadas que o grupo leva. Mas isso muda radicalmente ao longo da série.


De médico e louco... todo mundo tem um pouco.

Doc (Russell Hodgkinson) é um dos personagens mais carismáticos da série. Engraçado, o coroa, que já foi médico, agora mata zumbis e nas horas vagas é um fornecedor de drogas, que usa para trocar por armas, mantimentos e tudo mais que o grupo precisa. Mas o que faz realmente sua cabeça é um bagulho da pesada. Doc é profundo, digamos, conhecedor de drogas.


Humor negro:

Um sino de metal se desloca de um carro e sai esmagando todos os zumbis pela frente. Chega a cortar um, deixando apenas as pernas intactas e... de pé! Um bebê que se torna zumbi e fica mais rápido que o The Flash, um general que foi mordido pelos zumbis, mas acredita que é apenas um arranhão. Um furacão se forma em uma cidade tomada por zumbis... o que começa a cair do céus? Zumbis, é claro.

Z Nation têm verdadeiras e deliciosas pérolas do absurdo.

Z NATION


Death Road: 

Em vez de caminhar sem destino, uma das mais interessantes pegadas da série é o lance de roadserie. A história pretende mostrar o grupo cruzando todos os Estados Unidos de costa a costa. No caminho, além das ameaças e muitos zumbis, ainda podemos ver a adaptação das cidades americanas famosas em ruínas pós-apocalípticas. Ou seja, tem muito chão pela frente.

zz


Mitologia própria:

Em Z Nation, descobrimos que quanto mais jovem é o zumbi mais ágil ele é. Aos poucos, vai apodrecendo e ficando lento como aqueles da AMC. Além disso, outro ponto próprio é que os zumbis são atraídos por acordes musicais. Um som cadenciado e repetitivo os deixa malucos. E aos poucos, a série vai apresentando sua própria explicação para este universo insólito dos comedores de cérebros.


Não se sinta a Lori: 

Definitivamente, você não deve se sentir a Lori (Sarah Wayne Callies), a biscate esposa de Rick na série da AMC, que o traiu com seu melhor amigo. Ver Z Nation não vai trair seus princípios de fiel seguidor de The Walking Dead. É possível curtir as duas.

Ah, e depois de uma season finale de tirar o fôlego, a série já está renovada para a segunda temporada!

Assim, amigo, dispa-se de todo preconceito, traga pipoca e se divirta com esta série trash e cult.

 

ZNATIONWALKING


 

likeface

3 COMENTÁRIOS

  1. Comecei a ver a série agora, to no #1 Ep, e pelo que li aqui, não tem porque comparar TWD com ZN, pois apesar de ser o mesmo mundo, os objetivos são diferentes, TWD quer mostrar uma coisa e pelo que entendi ZN outra. Mas é como você falou, dá sim pra ser fã das Duas, eu sou fã de RE pow, kkk

Deixe uma resposta