Poderia passar como mais um episódio morno desta temporada e que as coisas parecem demorar para acontecer, mas o episódio 11 da sétima temporada de The Walking Dead exibido no domingo, dia 26/02, ao menos, trouxe luz a algumas questões e colocou em destaque dois coadjuvantes que podem ter importância vital nos próximos acontecimentos.

Se você ainda não assistiu ‘Hostiles and Calamities’ ainda, é altamente recomendável que você faça isso antes de continuar com este artigo, pois haverá spoilers listados que podem arruinar o episódio para aqueles que ainda não o viram.

01 – Como Eugene se virtou bem no covil de Negan

A resposta mais imediata foi para esta questão já que o episódio foi todo centrado em Negan e seus capangas e a reação sobre a fuga de Daryl e a captura de Eugene.

Quando Negan levou Eugene para longe de Alexandria e o trouxe para o Santuário, conhecendo o temperamento covarde e prolixo do cientista, era difícil imaginar como ele conseguiria se virar no covil dos inimigos. Para nossa surpresa, ele até que está indo bem. Sua inteligência arrogante conseguiu lhe dar certo destaque em relação aos Salvadores brucutus. Ele até se tornou queridinho do Negan, já que o cara tem a habilidade imprescindível num mundo apocalíptico: fazer balas. Aliás, finalmente os roteiristas se tocaram que as balas não crescem em árvore e com o colapso da civilização, um dia se tornariam escassas.

Até o harém de Negan ficou entusiasmado com as capacidades técnicas de Eugene, que poderá ter sua história relativamente destacada nos próximos episódios, já que até então, estava muito à sombra do arco de Abraham e Rosita.

Resta saber se seu juramento de lealdade a Negan deve ser considerado uma estratagema, ou se ele realmente pode ser seduzido pelo poder e status que lhe foi dado.

02 – O castigo de Negan pela fuga de Daryl e uma (maldosa) jogada de mestre de Dwight

Claro que Negan não iria engolir facilmente a fuga de Daryl e a gente sabe que o tirano é violento. Ele mesmo disse no episódio que Daryl é muito emocional e obviamente teria fugido para Alexandria (quando na verdade, está escondido no Reino). Era de se esperar que a culpa recaísse sobre Dwight, que numa maldosa reviravolta, acabou não só fingindo que tinha matado a esposa que fugiu do harém de Negan, como conseguiu jogar a culpa da fuga de Daryl no médico, Doutor Carson, que teve um destino horrível, jogado vivo na fornalha.

03 – Mas, Negan realmente acreditou em Dwight?

Preso na mesma cela, onde Daryl estava confinado, como principal suspeito de tê-lo deixado escapar, Dwight conseguiu se safar como citamos anteriormente, mas Negan realmente acreditou no capanga? O vilão não parece ter nada de ingênuo e sabe que não é possível que Dwight não guarde rancor dele, que usurpou sua esposa, queimou seu rosto e o humilhou em diversas situações. Inclusive, sem Sherry nas mãos de Negan, Dwight não tem mais nada a perder. Agora, ele pode ter uma chance de vingança contra os Salvadores, pois não tem nada a perder.

04 – A história de Dwight se aproxima do ápice.

A história de Dwight e Sherry é dolorosa. Ele estava tão preocupado em mantê-los vivos que perdeu a noção de si mesmo no processo e aparentemente, a última pá de cal veio com o bilhete que Sherry deixou para Dwight em sua antiga casa.

Parece que o relacionamento acabou, mas isso deixa Dwight numa situação estranha. Ele não está mais lutando para mantê-la segura e agora pode se concentrar no que é melhor para ele, como citamos acima.