Os arrastados episódios da sétima temporada, que pareciam ressaca de um primeiro capítulo desnorteante começam a dar lugar à tão esperada revanche do grupo de Rick contra as forças do sádico Negan, líder dos Salvadores.

Literalmente Rick voltou a sorrir, mesmo ainda vivendo alguns (muitos) perrengues. No episódio 10 da sétima temporada, o líder de Alexandria finalmente consegue se entender com o novo grupo que habita um lixão. Mesmo tendo que provar o seu valor, ao ser forçado a lutar com um zumbi cravejado de lâminas pontiagudas, para ele e seus amigos, o dia foi de vitórias.

Ganhando a confiança deles, mas “entrando no cheque especial”, afinal, a condição para ter todas aquelas pessoas lutando a seu lado contra Negan foi arrumar armas, muitas armas. Algo que, obviamente, ele não dispõe. Com a certeza de conseguirá pagar sua parte no trato, nem mesmo ter a mão perfurada por uma das lâminas do zumbi, diminuiu sua alegria.

Aliás, sobre esta cena, quem acompanhou as HQs e já sabe que lá, há séculos, Rick já perdera sua mão, certamente sentiu um friozinho na barriga; Mas acalmai-vos, pois parece que isto não deve acontecer na série, pelo menos por enquanto. Provavelmente, também não vai morrer de tétano.

Aliás que zumbi feio, hein? Sei que ideia era homenagear Resident Evil, mas a primeira lembrança que veio a mete foi mesmo os zumbis toscos e criativos de Z Nation.

De forma muito didática o problema veio acompanhado de um princípio de solução, já que em um papo com Tara, tivemos a certeza de que ela vai acabar cedendo e entregando a localização de Oceanside, a aldeia das amazonas com quem esteve ao se perder em uma diligência. Uma coisa é certa: as mulheres são valentes, são muitas e tem muitas armas, que deverão finalizar a equação.

Também foi um episódio de cenas fofas, com Ezequiel levando uma marmita para Carol que, anda merecendo uns sopapos querendo se isolar de tudo e todos. Vale lembrar que na quinta temporada, quando ela foi forçada a ficar sozinha, é quem acaba virando a She-ra e salvando todo mundo dos canibais do Santuário. Ainda na parte emotiva do episódio, Daryl acaba sabendo do paradeiro da amiga e o reencontro entre os dois é tocante, mas para nossa tristeza, ela não revela o que os Salvadores fizeram com Glenn e Abraham, gatilho que despertaria a ira do personagem mais forte da série.

Assim, a passos realmente lentos (para variar), se costura o mais ousado plano já arquitetado pelos nossos herois. Que bom! Estamos doidos para ver Lucile dançar de rosto coladinho do Negan.