O começo foi impactante. A chegada de Negan, a perda de dois personagens muito queridos, o grupo fragmentado, mas rapidamente a sensação de ressaca tomou conta da série, influenciando inclusive em uma substancia queda no número de espectadores, episódio a episódio.

Ainda que a narrativa mais lenta e os episódios focados em núcleos não sejam exatamente uma novidade na série, o grande público está cada vez mais ansioso por acontecimentos grandiosos e marcantes, do tipo arrasa-quarteirão. A apresentação quase folclórica do reino de Ezequiel quebrou um clima frenético impingido pela estreia e, sucessivamente, os quatro episódios exibidos na sequencia anseiam por uma única cena: a revanche de Rick sobre o seu mais poderoso oponente.

ezekiel-shiva

Parece que tem tanta coisa para acontecer que as pessoas acabam perdendo a paciência com um episódio inteiro de tortura psicológica com o Daryl ou ver Carl e Enid andando de patins em meio ao caos.

Porém, é preciso entender que se isso acontecer tão breve, a narrativa se acaba. É o mesmo que querer os mocinhos juntos numa novela desde o primeiro capítulo.

Quando questionado sobre que ritmo terá a segunda metade da 7ª temporada, que estreia em Fevereiro de 2017, Scott M. Gimple, produtor da série, afirmou que haverá uma mudança drástica de tom, mas sem maiores detalhes.

Diz apenas que o ritmo é profundamente diferente, incluindo a narrativa que hoje está isolando os eventos em cada episódio, basicamente ignorando as ações que estão ocorrendo nos outros núcleos. Grimple não revela se veremos Negan subjugado ainda nesta temporada, mas diz que o final da sétima temporada é oposto ao final da sexta e início da atual.

Considerando que no final da sexta, temos o grupo em frangalhos, sendo manipulados pelo terror dos capangas de Negan, acuados, assustados e humilhados, será que vamos ver o resultado da união das diversas comunidades exploradas pelos “Salvadores” unidas para derrotar o vilão?

O final da 7B (segunda metade da 7ª temporada) é bastante diferente do início da 7A. Quanto ao ritmo da 7B, eu estava conversando com Andrew Lincoln (ator que interpreta Rick Grimes) sobre isso na noite passada. É simplesmente uma metade de temporada bastante, bastante diferente da outra metade que a precede