A batalha pela Terra recomeçou.

No domingo, 22 de junho, o quarto ano da série Falling Skies, criada por Steven Spielberg e produzida pela Dreamworks Television,  retornou às telas americanas com o impressionante número de 4,7 milhões de expectadores na exibição ao vivo da première. Curiosamente, dias antes, o episódio de estreia já havia vazado na internet e milhares de fãs da saga épica da resistência à invasão alienígena puderam matar as saudades e encontrar um quarto ano bastante diferente.

A grande audiência  revela a assertividade da TNT na renovação da programa que já foi responsável no seu primeiro ano (2011) pela maior audiência de uma série estreante em TV fechada (algo em torno de 6 milhões de expectadores), superando até então o hit The Walking Dead do canal AMC.

Para os recém chegados, de que se trata a série? (SPOILERS sobre as temporadas)

Falling Skies narra a saga de uma humanidade dizimada e reduzida a pequenos grupos de resistência ou apenas sobreviventes errantes, após uma invasão alienígena não amistosa em escala global. O ataque tem proporções tão devastadoras que menos de 10% de toda a humanidade teria sobrevivido. Toda a trama gira em torno da união do professor de história Tom Mason (Noah Wyle) e seus três filhos a um grupo militar conhecido como Second Mass, comandado pelo Capitão Dan Weaver (Will Patton) e um grupo de mercenários errantes, liderado por Pope (Colin Cunningham). Essa mistura improvável e conflituosa, de gente que dificilmente se relacionaria em outras circunstâncias, ditou o tom da série, em especial nos dois primeiros anos, nos quais os roteiristas pareciam fazer questão de pontuar que seu maior foco seriam os dramas pessoais dos sobreviventes e a invasão alien, nada mais que um pano de fundo.

A escolha de um professor como protagonista acaba sendo justificada, quando Tom se aproveita de seu vasto conhecimento na história das grandes guerras humanas para criar estratégias de preservação e defesa do seu grupo.

Mas como estamos falando de uma série de Spielberg, a audiência clamou por melhores efeitos visuais e enfoque na batalha, alterações estas que podem ser nitidamente vistas desde o final da 2ª temporada e bastante marcadas no começo desta quarta, sem que isso tenha lhe esvaziado de sua essência humana.

Falling Skies

O que querem os invasores?

Após três temporadas ainda não é muito claro o que os alienígenas vieram buscar em nosso planeta, mas estão decididos a continuar com seu plano. Após exterminar militares e destruir nações, sua principal ação até então foi recrutar crianças, através da instalação de um parasita em suas colunas vertebrais, que as deixa submissas e escravas de sua vontade.

Entre os invasores já se pôde mapear pelo menos quatro raças distintas de alienígenas:

  • Espheni, aparentemente superiores em intelecto e prováveis comandantes da invasão a Terra. São os responsáveis pela criação de robôs gigantescos (Mechas), feitos com um metal desconhecido por aqui e ultra resistente, cuja função é defender as naves mãe e os campos de concentração, caçando e destruindo a resistência humana. Depois de ter invadidos centenas de mundos e subjugado todos eles, os Espheni se mostram extremamente curiosos com o fato de existir um foco de resistência humana, mesmo sem qualquer chance estatística de vencerem essa guerra. Daí o grande interesse pelo líder da resistência Tom Mason, sequer um militar, apenas um professor secundário.
  • Volms, raça humanoide, que em algum momento teve seu mundo invadido pelos Esphenis e que agora se dedica a arquitetar planos de vingança. Um deles, Cochise, é herdeiro de um grande líder Volm e que furtivamente, propõe-se a ajudar Tom Mason e os terráqueos, mas nem todos os humanos do bando confiam cegamente em  suas intenções.
  • Skitters, os mais comuns. São operários ou soldados e, conhecidos como saltadores. Sua aparência é assustadora, pois são dotados de seis pernas e capazes de se locomover sobre paredes e tetos. Sobre estes há alguns mistérios importantes: eles são responsáveis por cuidar das crianças escravizadas e se comunicam com elas de forma mental. Há algumas sugestões que indicam que as crianças escravas, depois de muito tempo expostas ao parasita que os controla se transformarão em novos Skitters, mas de fato isso nunca foi mostrado pela série. Existe um pequeno grupo de saltadores que, de alguma maneira, conseguem se livrar do controle dos Senhores Supremos e se rebela, revelando que também eles tiveram seu planeta invadido e povo escravizado. Em dado momento, estes rebeldes se aliam aos humanos contra os poderosos Espheni.
  • Vespas, apresentados pela primeira vez na quarta temporada, também são escravos e muito semelhantes aos saltadores, mas possuem a habilidade de voar e tem suas pernas substituídas por uma calda. Ainda não se sabe muito a respeito de suas funções na cadeia alienígena.

O que esperar?

Amadurecida, mais tensa e com melhor acabamento visual, já se pode prever que Falling Skies focará na guerra e na dubiedade da criança modificada geneticamente pelos invasores, ganchos deixados na temporada anterior. O próprio Mason, quase sempre movido pela emoção, aparece como um estrategista hábil e focado, ainda que o  que tenha despertado tudo isso tenha sido a abrupta separação de sua família após ataque furtivo dos aliens.

É de se desconfiar de um “cessar fogo” promovido pelos visitantes espaciais e da criação de uma comunidade “riponga” pela misteriosa filha de Tom (meia alienígena, meia humana), que envelheceu o equivalente a mais de 10 anos em poucos meses. Algo curioso deve vir daí, não é?

Por que somente parte dos saltadores recobrou a consciência e se rebelou contra os opressores?

Além disso, quem consegue afirmar se os Volms são aliados dos humanos ou, já que perderam seu planeta para os invasores, estão atrás de um lugarzinho novo para se estabelecerem? Aliás, a proposta deles era asilar todo o grupo resistente de humanos em lugar mais seguro: (pasmem!) Brasil.

Essas são algumas das perguntas que a série poderá nos responder nos próximos episódios.

Então, escolham seu lado, pois a batalha pela Terra já recomeçou.
Falling Skies está atualmente em exibição no Brasil pelos canais pagos TNT (todas as segundas, apenas 1 dia após ir ao ar nos Estados Unidos) e reprises dubladas no canal Space, às sextas.

Trailer:

Deixe uma resposta