A CW ocupa hoje a quinta posição entre as redes americanas em audiência, apesar de tantas séries que causam verdadeiro furor do público jovem, o maior foco da emissora.

Mark Pedowitz, presidente da emissora, resolveu falar do momento da rede e da má fase de alguns dos seus carros-chefes. Mark elogiou a seleção de séries do canal e diz que esta é a melhor composição de grade da história do canal, que tem  quase 10 anos.

Crazy Ex-Girfriend

A série tem uma das menores audiências da linha de shows. Algo em torno de 900 mil espectadores na média semanal, o que representa apenas 0,3 pontos entre a audiência qualificada pelo mercado publicitário americano. No entanto, tornou-se queridinha da crítica, o que acabou lhe rendendo a indicação e vitória de Rachel Bloom, a protagonista como melhor atriz de comédia no último Globo de Ouro. A comédia é realmente diferente e, inclusive, o SeriExpert já a havia se antecipado e apontado no top 10 de melhores comédias do ano de 2015. Na trama, uma mulher obcecada com seu amor de adolescência, larga uma vida bem sucedida na capital e se muda para uma pequena cidade no interior da Califórnia e passa a stalkeá-lo das formas mais fofas e neuróticas possíveis e, antes que pareça apenas bobagem, vale conferir o maior diferencial da trama, sua estrela, Rachel Bloom canta, dança, faz caras e bocas em números musicais surreais e apaixonantes.

Sobre a série, apesar dos números, o futuro parece promissor. O executivo defende a manutenção na grade e pede ao público que dê uma oportunidade e reveja os primeiros episódios pelas plataformas de streaming do canal, na certeza de que vai fisgar quem der essa chance de ser seduzido por Rachel e os personagens divertidíssimos da série.

No momento, eu gostaria de ter estatísticas mais otimistas, mas eu não tenho”, disse Pedowitz, que também garantiu que a confiança quanto à qualidade da série é tanta que nada será mudado, nem mesmo para aumentar a audiência, pois é apenas uma questão de convencer o público a dar a oportunidade a conhecê-la. “Nós temos grande fé no show e em seus criadores. Quando acreditamos no show, mantemos o show. Você não pode abrir mão de algo com a qualidade desta série. O fato de Rachel ter sido indicada (e vencedora do Globo de Ouro) junto com Gina (Jane, the Virgin, que também já arrematou o prêmio), é um atestado da qualidade do trabalho que fazem. Desejava que os números fossem melhores. Todo mundo deveria descobrir este show.”, complementou o executivo.

E ele tem razão. Nós vimos, mesmo com o pé atrás e bastante preconceito de ser mais uma comédia romântica boba e cancelável e ela foi capaz de nos cativar. Tente você também.

The Vampire Diaries e The Originals

Já vimos noticiando por aqui que The Vampire Diaries, que já foi um dos maiores símbolos do CW, a cara da rede, vem perdendo audiência significativamente, marcando seus piores índices da história na atual sétima temporada. Chegamos a especular se a série seria cancelada ou renovada para uma última temporada. Bem, ainda não sabemos o destino, mas o fato é que, para o final da sétima temporada, a CW decidiu mudá-la para as noites ingratas de sexta-feira, um primeiro passo para o fim. The Originals igualmente em queda nos índices também acompanhará Damon e companhia para a sexta-feira, sendo transmitida ainda mais tarde da noite.

Uma delas não vai durar muito mesmo. Pedowitz observou que o futuro destas séries não está interligado, podendo uma sobreviver ao cancelamento ou durar mais tempo, mesmo que se opte por cancelar a outra, apesar de não nomear qual é qual neste cenário. Se fôssemos chutar, devido ao peso do título, creio que o mais inteligente seria manter The Vampire Diaries para uma oitava e última temporada, mas aproveitar o charme dos vampiros originais da outra série e fazer uma temporada crossover. Seria um belo fim para as duas tramas.

E para alimentar o clima tenso, há forte especulação de que as estrelas emblemáticas do canal Ian Somerhalder e Paul Wesley não tenham seus contratos renovados, o que por si só seria o fim de The Vampire Diaries, mas o executivo tratou de desmentir os rumores e afirmou que a mudança das séries para a sexta-feira não é um exílio, mas uma estratégia de programação, uma vez que as quintas ficaram destinada a séries de mais interesse dos garotos como as baseadas em super-heróis e, às sextas, séries de interesse mais feminino.

Sobrenatural, IZombie e The 100

Para alíveio dos fãs, Pedowitz também se manifestou em relação ao veterano Supernatural, bem como ao segundo ano iZombie, rasgando elogios aos seus criadores e atores e, praticamente confirmando suas renovações antecipadas.

iZombie-and-Supernatural

The 100 é outra série que quase não sobreviveu à primeira temporada, devido aos baixos índices, mas renovada, brindou a emissora com um segundo ano de grande repercussão, apesar de números tímidos. A terceira temporada retorna em alguns dias com grande expectativa dos fãs e dos executivos do canal.

Reign

Ele diz que ainda tem esperanças sobre uma quarta temporada de Reign, apesar das fracas audiências do drama de época. A trama perde fôlego com a saída de seu protagonista masculino, rei Francisco (Toby Regbo). Pedowitz elogiou a “riqueza” de histórias trazidas pela série, insinuando que uma quarta temporada teria um novo cenário, a Escócia.

Os heróis da DC

Os melhores resultados da CW estão nas séries de heróis como Arrow e The Flash, a última responsável pelas maiores audiências do canal. Existe grande expectativa em torno de Legends of Tomorrow, que estreia em janeiro e não se descarta uma quarta série sobre heróis, desta vez, com uma mulher no papel principal, porém não deu maiores detalhes.

A rede também anunciou uma segunda temporada para o desenho animado Vixen, também da DC Comics.

O executivo diz que não teme que a febre de séries de heróis se sature, mas que seu objetivo é fazer um rodízio entre as séries, mantendo, ao menos, uma faixa ativa com heróis diferentes ao longo de todo o ano.

Bom, resta saber o que fica e o que sai.

[follow id=”tvexpert” count=”true” ]
lf4

  • Megan Noronha

    Sinceramente, nem acho que foi por mal, mas definitivamente quem escreveu sobre TVD e TO não é fã de The Originals.
    Cara, não tem nada de “belo fim” TO virar um crossover de TVD! É mais digno para a série acabar na S3 mesmo.
    Quem acompanha The Originals sabe o quanto a série se distanciou de TVD. Eles nunca voltariam para Mystic Falls para fazer um bota-fora.
    Os Mikaelsons se mudaram para Nova Orleans e o tempo todo é ressaltado na série o quanto a cidade é importante para eles, o único lugar que eles sentem como lar. A cidade está no DNA da série. Assim como todos os relacionamentos que eles criaram por lá: amigos; filha, irmã, aliados; amor… Coisas que não teriam espaço em TVD e que jogariam tudo o que foi visto na série fora – melhor ser cancelada direto mesmo: é mais digno!
    Uma temporada crossover seria algo sem perna nem cabeça (no máximo um ou outro episódio e olha lá! Pois após um series finale de TO não faria mto sentido…)

    • Marlos Andrey

      Me parece melhor do que ser cancelada sem um final.

  • Edilaine Monteiro

    The vampire diaries parei a tempos de assistir.