Apesar de os fãs defenderem a atuação de Lady Gaga como protagonista da série de terror, American Horror Story – Hotel, nem todo mundo achou graça no tom sexual e sangrento dos primeiros episódios exibidos.

A entidade Parent Television Council criticou fortemente a série nos meios de comunicação e está buscando apoio maciço da sociedade conservadora americana para o boicote da série.

Tim Winter, presidente do conselho não poupou críticas: “Este é o conteúdo mais desprezível e chocante que eu já vi na TV em toda a minha vida”.

A cena de orgia e banho de sangue do primeiro episódio foi o mais criticado pelo conselho, que fiscaliza e busca a censura de conteúdos não próprios para a família americana.  Além desta, a bizarra abertura também foi alvo de críticas por conter uma cena, que é considerada como estupro.

Lady Gaga no papel de condessa e seus filhos, se alimentando de sangue.
Lady Gaga no papel de condessa e seus filhos, se alimentando de sangue.

Em forte campanha, o grupo está abordando os patrocinadores, destacando a rede de fast food Subway, para não investir neste tipo de atração. Classificando o patrocínio como irresponsável.

American Horror Story é uma bem sucedida franquia de horror bizarro, exibida pelo canal FX. Por se tratar de uma antologia, a série a cada nova temporada procura ambientar a trama em um novo cenário e com novos personagens. As locações são as associadas a terror B. Assim, já mostrou hospício, circo e agora foca em famigerados assassinatos reais ocorridos em um hotel misterioso de Los Angeles.

O FX não se pronuncia sobre as críticas e reforça que a série está garantida para 2016 e, com projetos de apresentar não uma, mas duas temporadas no mesmo ano.

Confira a abertura da série:

Alguns trechos do primeiro episódio:

lf4

Deixe uma resposta